Hoje, presente em mais de 50 locais, os serviços partilhados da PT têm afetos cerca de mil colaboradores e a empresa é considerada uma referência. O seu desempenho e boas práticas nesta área são reconhecidos pelo mercado e confirmados pela consultora Hackett Group, que identifica a PT como World Class Company.

Na 2.ª edição da Conferência Anual de Serviços Partilhados e Compras Públicas (eSPap),o presidente executivo da PT, Paulo Neves, partilhou este caso de sucesso e de eficiência num evento que mobilizou mais de 1400 participantes de diversos setores públicos e privados, no Centro de Congressos de Lisboa.

O presidente executivo explicou que a PT colocou ao dispor dos serviços partilhados a capacidade interna tecnológica que permitiu com o seu excedente prestar serviços para o exterior. “Com as pessoas que tinham o conhecimento nesta área, começámos a fazer serviços partilhados para terceiros.”

As TIC são um acelerador do processo de serviços partilhados

A operação de conferência de faturas do Serviço Nacional de Saúde é um dos exemplos. Desde fevereiro de 2014 que a PT deu início a este projeto de Business Process Outsourcing, após vencer o concurso de exploração do Centro de Conferência de Faturas do SNS e Análise e Exploração de Informação (UEI). E só em 2014, foram processados 103 milhões de documentos e conferidos 1,7 mil milhões de euros de despesa do SNS, valores que demonstram a dimensão desta operação, considerada uma das maiores em Portugal.

Na sessão sobre Serviços Partilhados: Novas soluções para melhores organizações, Paulo Neves destacou ainda, que “Uma estratégia de serviços partilhados obriga a mudanças ao nível processual e cultural. As tecnologias de informação e comunicação são uma componente fundamental, nomeadamente como acelerador na automatização de processos”.