Além da presença do SAPO no recinto, também a PT Empresas integrou o espaço de expositores com a demonstração de várias soluções direcionadas para clientes empresariais que tiveram a oportunidade de conhecer de perto, entre outras, o GlobalConnect, o MEO Táxi ou o MEO Wallet.

Segundo o responsável da Unidade de Conteúdos e Comunicação da PT Portugal, Alexandre Nilo Fonseca, o consumidor está cada vez mais digital. Hoje, existem 2,8 mil milhões de utilizadores de internet em todo o mundo e, no próximo ano, o número deverá aumentar para os 3,5 mil milhões.

Mas se, por um lado, o mercado assiste a uma evolução da economia digital em termos de número de consumidores, por outro, nas empresas esta evolução não acontece à mesma velocidade. Apenas 6 % das microempresas e 35% das grandes empresas recebem encomendas online.

Mas o que é que impede que as pequenas e médias empresas (PME)  tirem o melhor partido deste processo? Armando Almeida, presidente executivo da PT, aponta três barreiras: a “reduzida capacidade de investimento”, a “falta de know-how” e o “acesso a uma oferta pacotizada e intuitiva de e-commerce”.

A PT Portugal quer liderar a revolução da economia digital em Portugal e contribuir para que as PME superem estas barreiras, colocando a sua inovação, excelência operacional, infraestrutura, tecnologia e know-how à disposição destas empresas.

Durante a sua intervenção no Fórum da Economia Digital, Armando Almeida falou, ainda, da aposta nas startups, admitindo que “Portugal tem pessoas com muitas ideias criativas, mas que precisam de um veículo para que possam testar essas ideias, e a PT com a sua infraestrutura pode acrescentar valor”. Dá o exemplo do serviço MEO Music, desenvolvido por uma empresa portuguesa, e que hoje compete com o Spotify. Com este exemplo, o presidente executivo esclareceu que há a oportunidade de uma “grande empresa” como é a PT apoiar outras empresas e ser um ponto de partida para o acesso à era digital.